Virgindade

15/12/2010

Eu tenho um amigo virgem. Não sei se ele se guarda para alguém, se o é por falta de coragem ou se não se considera pronto para deixar de ser virgem. Eu (e todo mundo), claro, sacaneio demais essa particularidade de sua vida, mas, sinceramente? Acho até que é bonitinho esse estado. E penso que transar pela primeira vez não deve ser uma obrigação devido às pressões dos amigos/sociedade. Se fosse para eu falar sério com ele (mas isso ia tirar muito da graça de sacaneá-lo por ser virgem) ia dizer apenas uma coisa: relaxa! Tudo acontece na hora certa, por mais clichê que isso possa parecer.

Dias atrás, conversando com um grupo de amigos, falávamos sobre nossa primeira vez. Sobre como, quando somos virgens, ansiamos aquele momento, esperamos, fantasiamos, temos medo de decepcionar. E, a conclusão geral é que a primeira vez quase nunca é boa. A minha, pelo menos, não foi. Toda aquela carga de obrigação e toda aquela tensão acabam tirando um pouco a magia da parada. Depois que você perde aquele maldito status de virgem, você pode se soltar mais, ir descobrindo o sexo e como o encontro de dois corpos (às vezes, três, mas divago) pode ser tão bom. Na verdade, você se permite explorar mais, não tem a vergonha de fazer algo ‘errado’ e desapontar o outro. Você pode ser um pouco mais egoísta e descobrir o próprio prazer.

Sou daqueles que acham que sexo se aprende com a prática. Quanto mais se pratica, melhor pode ficar. E não me refiro apenas à virgindade em si. Pois, você deve concordar, sexo com intimidade é sempre melhor. Por mais espetacular que tenha sido aquela foda com alguém que você acabou de conhecer, o sexo tende a melhorar com a intimidade que se adquire depois que se passa a conviver. E não estou entrando no mérito de que ‘sexo com amor’ é melhor (até é, fazer sexo apaixonado é bom pracarai), mas sim dizendo que quanto mais você conhece o outro e o outro te conhece, mais gostoso o envolvimento sexual pode ficar.

Mas para a primeira vez, acho legal que seja feito com alguém que seja cuidadoso e saiba que por mais idiota que seja, a gente dá valor àquele momento. É como um rito de passagem, na verdade. Já fui o primeiro cara de algumas pessoas nessa vida e acho que desempenhei o papel direitinho. Não porque sou o fodão desvirginador, mas sim porque sei que apesar da insegurança, todo mundo quer se sentir especial naquela hora e eu sei fazer isso quando quero. #ModestiaFeelings

No fim das contas, uma hora (quase) todo mundo deixa de ser virgem. E com o passar do tempo e das experiências, nos damos conta de que dávamos valor demais a um status que pouco quer dizer e que quase nada fala sobre nós. E chegamos ao ponto da vida em que quando alguém fala de virgindade, temos de nos esforçar para nos lembrar da época em que fomos assim… A long time ago…

Like a virgin, touched for the very first time
Like a virgin, with your heartbeat next to mine…
Like a Virgin (Madonna)

Anúncios