O Que Fazer Para Não Morrer

01/08/2012

Caminhando de volta para casa na noite da última terça-feira ao lado do namorido, logo depois de assistirmos ao filme Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (que é muito bom, por sinal), eu lamentava o fim de mais uma franquia, ao mesmo tempo em que demonstrava preocupação. E  minha explicação para o namorido do motivo da minha preocupação é que originou esse post.

É bem simples e eu achava que todo mundo fazia isso: eu leio livros e assisto filmes e séries para não morrer, oras! Isso não é evidente?  Mas vou tentar explicar para quem não pegou a sutileza da parada.

Quando eu lia Harry Potter, logo nos primeiros livros, eu cheguei à uma brilhante conclusão: eu não podia morrer antes de saber o final daquela história. Mais tarde, comecei a acompanhar Lost na televisão e era óbvio que eu não poderia morrer sem entender o que se passava naquela ilha (eu não morri, a série acabou e, mesmo assim, algumas coisas da série ninguém entendeu, nem mesmo os roteiristas).

Com o tempo, fui me viciando em outras histórias, literárias ou audiovisuais, que, por suas estruturas episódicas, me obrigavam a esperar o lançamento de capítulos futuros. Claro que eu não poderia morrer antes de descobrir o final dessas histórias, afinal, se eu morrer, acabou-se tudo, inclusive o resto do mundo, não?

Então, é por isso que eu leio e assisto a filmes e séries: para me manter vivo!

Ao explicar isso ao namorido, ele, com sua sutileza peculiar e uma cara que sempre faz quando quer dizer algo solene, me disse apenas uma frase:

“Você me preocupa, deveria procurar um analista!”

Poxa, ninguém me entende!
😦