Almoço de Domingo

06/08/2012

Sabe aqueles momentos que valem a pena, apenas pela alegria e descontração usufruída? Considero esses os mais especiais e os coleciono em minha caixinha de memórias.

Ontem, pleno domingão, recebi em casa para o almoço uma amiga de Belo Horizonte que estava no Rio para resolver algumas pendências particulares. A conheci pela internet, já que escrevíamos no mesmo blog sobre séries de televisão e, com troca de emails diversos e conversas via skype, criamos um carinho um pelo outro. Já a conhecia pessoalmente, de outra vinda dela ao Rio, tempos atrás. E o reencontro foi tão gostoso, regado a comilança e bebidas.

Ela estava no Rio para tirar seu visto, já que vai fazer metade do seu doutorado na Inglaterra. Fiquei tão feliz por ela. Tenho mó orgulho desses meus amigos cabeça, cheios de foco e projetos acadêmicos. E uma certa invejinha, já que tenho uma preguiça mortal de me dedicar a coisas do tipo.

Em casa, com mais duas amigas queridas e o namorido, preparei um almoço gostoso (ficou delicinha: lasanha e cortes de frango ao forno), tomamos um vinho espanhol que ninguém sabe quem deixou na minha casa (abafa!) e apreciamos uma sobremesa deliciosa feita pela amiga de BH (bombom aberto, uma coisa boa boa, com base de brigadeiro branco, morangos picados e cobertura de chocolate meio-amargo… Nhammmm!).

Fora os papos, as fofocas e o carinho no ar.

Adoro domingos. E adoro amigos. Principalmente aqueles que, mesmo distante, quando presentes, fazem a vida da gente tão mais divertida.

Anúncios

Domingo de Inverno

08/08/2011

Algumas vezes, tão absortos por nossas atribuições do dia a dia, deixamos de observar algumas paisagens tão corriqueiras e tão especiais. Eu mesmo, que faço todo o dia o trajeto Flamengo-Copacabana, muitas vezes deixo de notar as belezas que fazem do Rio de Janeiro o meu lugar mais que especial e aquele que eu escolhi para viver.

Num domingo de inverno, depois de um almoço apetitoso, ao invés de irmos direto para casa, o namorado sugeriu que fôssemos dar uma caminhada pelo Aterro do Flamengo. Quintal de casa, lugar pelo qual passamos todos os dias, mas que quase nunca nos damos ao trabalho de apreciar.

E nesse domingo de inverno, com céu azul e sol brilhante, vamos caminhando e caminhando e registrando algumas belezas do caminho. Cliquei algumas imagens que não ficaram lá muito boas (a culpa não é só do “fotógrafo”, a qualidade da câmera do celular não ajudou muito), mas que mesmo assim resolvi postar por aqui.

Porque o blog também é pra isso. E pro que mais eu decidir.

Praia do Flamengo

Aterro do Flamengo, Pão de Açúcar ao Fundo

Pontinha do Pão de Açúcar

Brincando de preto e branco

E por culpa desse passeio e dessas fotos casuais, até me bateu uma vontade de brincar mais vezes disso: de sair por aí sem destino e fotografando, curtindo as belas paisagens que a tantas e tantas vezes deixamos para lá.

Eu ando pelo mundo prestando atenção 
Em cores que eu não sei o nome
Cores de Almodóvar, cores de Frida Kahlo
Cores… 
Esquadros (Adriana Calcanhoto)