Fragmentos Desfragmentados E Desconexos – Fim de Ano e Afins

27/12/2008

fogos1“A festa vai começar, leve tudo
Que é de bom pro ano novo que virá,
Leve o seu abraço, leve seu beijo,
Leve seu sorriso, leve todos seus desejos,
Pega leve com as pessoas
Que gostam de você,
Pega leve com a vida,
Pega leve com o seu bem querer,
Pega leve com os amigos,
Vamos comemorar,
Você está na boa
Mas pode melhorar….
(Pega Leve – Ivete Sangalo)

 

=>Exatamente um dia após o post sobre a Zenaide, ela desapareceu daqui de casa.
Isso renderá um post em janeiro.
Definitivamente, não me dou com pererecas.

=>Natal passou e eu nem falei nada por aqui.
Não liguem. É que nunca fui natalino (na verdade, minha família nem comemora natal, logo, não tenho esse hábito também).
Mas, enfim, feliz pós-natal a todos!
Mesmo assim, o Natal foi na casa dos pais, fazendo absolutamente nada.
E como eu adoro fazer nada em casa, deitado na rede, comendo churrasco feito pelo meu pai, ouvindo as lamentações de sempre da minha mãe, ganhando todos os mimos da minha avó, rindo muito das aventuras do meu primo de 16 anos.
Eu fico meses sem aparecer por lá, ouço minha mãe jogar na minha cara que sou um desnaturado que some, mas, fala sério, isso é família, né?
E eu, apesar de todos os pesares, AMO a minha!

=>Fim de ano é tempo de levantamentos e de ver o que podemos e o que não podemos mudar em nossa vida, né?
Fantástica essa oportunidade que temos pra recarregar as energias (e as esperanças).
Meu ano novo vai ser divertido, tenho certeza.
Minha amiga Fabi, de São José dos Campos/SP já se encontra aqui no meu ap e vamos passar juntos, em Copacabana, com Mr. Angel e Daniel.
Diversão garantida, certamente.
(Entretanto, tenho certeza absoluta que na hora dos fogos vou olhar para o lado e sentir a falta do meu namorado, que mais que isso, é meu amigo, companheiro e, atualmente, minha melhor companhia. Amo aquele mané de olhos verdes!)

=>Com a Fabi aqui em casa, pelo menos, o tempo passa mais rápido e divertido.
Temos o mesmo temperamento: preguiçosos e gulosos.
É tanta televisão e comida, que vou falar.
Mas já sei que terei que fazer os mesmos passeios de sempre que ela faz aqui em Petrópolis (é claro, que a Rua Teresa é o preferido dela, eu mereço!).
Isso, é claro, se a chuva der uma trégua.
Porque abriram as torneirinhas lá no céu e não fecham de jeito nenhum!

=>Promessas para 2009?
Ixi, tenho algumas.
Mas por hora, acho melhor agradecer por tudo que consegui e conquistei em 2008.
E não foi pouca coisa não!
Lembro como se fosse ontem da noite de 31 de dezembro de 2007, dos fogos, do meu choro desenfreado por um filho da puta que não me merecia (a Fabi tava comigo! 2° Ano Novo juntos, êêê) e da promessa de que nesse ano eu tomaria vergonha na cara.
Tomei. Cresci. Amadureci.
E por isso e por todo o resto eu tenho muito que agradecer e ser grato.
2008 foi PERFEITO!

=>No mais, um grande abraço para todos vocês.
Afinal, foi por causa desse blog que conheci tanta gente legal.
E nos encontramos no ano que vem (que já está batendo na porta).
Beijão a todos!

Anúncios

Zenaide e Eu

21/12/2008

zenaide“É que a Zenaide me largou
Não esqueço do cheiro 
E nem do sabor

Não esqueço o dia
Em que tudo começou

E pra parar com isso
Eu mergulho na pinga

E do jeito que eu tô
Não vai sobrar mais nada

Pra contar história
E o pior é que eu acho
Que é isso que eu quero,

Eu troquei a Zenaide por pinga…”
Marvada Pinga – Zenaide (Henrique e Hernane)

Era uma vez uma perereca.
Mas não era uma perereca comum, dessas de brejo.
Era uma perereca albina, aquática, que vivia num aquário na casa de um jovem rapaz lindo de olhos verdes e sorriso sincero.
A história dos dois começou em maio, no aniversário do rapaz de olhos verdes. Seus amigos decidiram ser originais e o presentearam com a perereca.
O jovem de olhos verdes, com seu aquário vazio depois da morte de seu Beta, adorou o presente e a batizou de Zenaide.
Eu entrei na história meses depois, quando comecei a namorar o rapaz de olhos verdes.
Vi a perereca no aquário e pensei comigo: ‘Eeeecaaaa!
Mas aos poucos fui me acostumando com sua presença e não a achei mais tão nojenta.
Fim de ano letivo na faculdade, namorado indo embora para sua cidade natal e o pedido:
‘Fica com a Zenaide pra mim nas férias? Cuida dela? Promete que não vai matá-la?’
E assim, desde domingo, tenho uma companhia aqui no meu apartamento que, antes da Zenaide era apenas habitado por mim e pelos dois bichos de pelúcia que tenho aqui: um leãozinho (presente da minha ex namorada) e um sapo (presente do meu ex namorado).
E assim estou cuidando de Zenaide, a perereca do meu namorado.
Já nos primeiros dias notei que meu namorado não tava cuidando direito da Zenaide. Ela tava magrinha e apática…
Como meu apartamento é mais iluminado que o dele e o local onde encontra-se o aquário toma uma boa dose de claridade diariamente, hoje acho Zenaide uma perereca mais feliz. Fora que ela tem se alimentado bastante e está mais gordinha. E vive nadando feliz dentro do aquário, às vezes parecendo uma louca quando resolve bater a cabeça descontroladamente contra o vidro quando eu vou brincar com ela. Até mesmo trocou de pele nessa semana que está aqui. O que devo dizer, frustrou e muito meu namorado que exclamou no msn: ‘Mas ela tá comigo tem tanto tempo! Pq tinha de trocar de pele logo quando está com vc?’
Hoje (domingo) troquei a água do aquário, fiz uma limpeza e Zenaide nada feliz nas águas cristalinas de seu aquário sobre o hack da minha sala.
E se vivemos felizes para sempre?
Claro! Eu e a perereca do meu namorado!

OBS1: A foto que ilustra esse post é da propria Zenaide dentro de seu aquário.
OBS2: A música do post é de onde meu namorado tirou o nome que batiza a perereca. Coisa do pessoal da turma dele da faculdade que adora esses sertanejos universitários.


Promessas & Perspectivas

19/12/2008

 futuro“Sou um animal sentimental
Me apego facilmente ao que desperta meu desejo
Tente me obrigar a fazer o que não quero
E você vai logo ver o que acontece
Acho que entendo o que você quis me dizer
Mas existem outras coisas
Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades”
Sereníssima (Legião Urbana)

Vivemos cada dia tentando responder a milhões de perguntas.
E a cada dia essas perguntas se multiplicam e multiplicam.
Procuramos saber que profissão iremos seguir, que curso escolher, que passeios fazer, que amigos ter.
Buscamos alguém que nos queira também e imaginamos o nosso futuro ao lado desse alguém: sonhos, planos.
Eu confesso: sou um sonhador!
Daqueles irreversíveis, que sonham acordado, acreditam no amor, na bondade do ser humano, no caráter das pessoas.
Tenho um lado Poliana que insiste em se manifestar. Não adianta mesmo, sempre acho que há algo bom, mesmo quando tudo tá dando errado. Acho que Renato Russo estava inspiradíssimo quando escreveu a estrofe de Sereníssima, onde ele diz que tudo está perdido, mas existem possibilidades.
Quantas vezes não foi numa hora de sufoco que uma idéia brilhante surgiu?
E conforme muita gente diz, a única coisa dessa vida que não tem solução é a morte.
Mas estamos vivos e temos de fazer isso valer a pena.
E procuro fazer isso a cada instante, a cada minuto. Fazer a vida valer a pena, por que não sei até quando ela vai durar.
Posso estar soando meio trágico, mas a vida é tão frágil. Hoje estamos vivos, cheio de planos, mas o amanhã não nos pertence.
Pra quê então ficar perdendo tempo com coisas sem sentido, com mágoas desnecessárias, com complicações inventadas por nós mesmos?
Por que corremos tanto atrás da felicidade e quando ela tá ali, cara a cara com a gente, amarelamos?
Medo? Medo de encarar desafios, de se machucar, de machucar outras pessoas?
Tudo disfarce. Isso é desculpa das mais esfarrapadas.
O maior medo é de encarar a felicidade!
Não quero esse medo mais presente na minha vida. Sei que nem tudo é fácil, que existem burocracias, mas decidi simplificar o máximo que eu puder.
Quero ser feliz ao lado dos meus amigos e dizer a cada um deles o quanto os amo e são importantes pra mim.
Quero abraçar minha família e deixá-los saber que mesmo quando eu não digo, devo tudo o que sou a eles.
Quero olhar nos olhos do meu namorado, que me tem feito sonhar acordado, e dizer com todas as letras: “Eu vou embarcar nessa contigo, porque isso é o que me importa agora!”
Não quero mais correr atrás de perguntas sem respostas.
O que me interessa agora é escrever o roteiro da minha vida.
Pois tenho certeza, que as tais perguntas que não querem calar um dia se responderão por si mesmas…
Mas nesse dia, outras perguntas surgirão…
Vai ser ótimo. Mas não vou me consumir por causa de incertezas.
Porque o que me importa é ser feliz.
Agora!


O Tiozinho Sem Noção

17/12/2008

 tiozinho“A mulecada só vive na pindura
Enquanto os tiozinhos anda com grana pura

A mulecada só vive andando a pé
A turma dos tiozinhos te carro, cabe olé
Na minha idade não fico mais sozinho
Os mano quer zueira, as minas quer tiozinho…”
Funk do Tiozinho (Mc Tiozinho)

 

Terça-feira de manhã, eu indo pro trabalho.
Petrópolis chuvosa (como sempre), ao invés de pegar o ônibus de sempre (mais rápido, porém, mais cheio) peguei um ônibus que ao invés de ir direto para o centro passaria por um bairro (10 min a mais, entretanto, certeza de ir sentado).
No ponto seguinte ao meu entrou um tiozinho (aproximadamente 60 anos, cabelos fartos e grisalhos, gordinho) e sentou do meu lado…
Uma porção de bancos vazios no ônibus e ele sentando ao meu lado. Odiei de cara!
Eu distraído, lendo O Rei do Inverno, de Bernard Corwell, nem tinha reparado direito no cidadão.
O tiozinho, sem noção, virava a cabeça e tentava ler o que eu lia. Eu já estressado, quando ele, do nada, puxa papo comigo:
‘O que o rapazinho está lendo?’
Eu, muito simpático: ‘Um livro!’ (não sou a pessoa mais simpática de manhã, indo pro trabalho).
E continuei lendo e ainda peguei e coloquei fone do meu player e coloquei no ouvido.
Mas o tiozinho fdp não satisfeito, começou a esfregar a perna dele na minha!
Com raiva, me levantei e troquei de lugar. Não foi suficiente, já que ele passou quase todo o trajeto virado para o meu lado e encarando a minha cara.
Alguns pontos antes do meu ele puxou o sinal e se levantou.
Mas antes de descer, passou por mim e jogou um bilhetinho sobre o meu livro. Um nome, um telefone e uma mensagem rabiscada:

‘Eu sei que você me quer. Me liga’

Eu mereço, né?
Mas claro que devo merecer! 


Crônica De Uma Ausência

15/12/2008

 viver_sem_paix_o_imperdo_vel“E a saudade em mim agora
Quanto tempo será que demora
Um mês pra passar?
Ser campeão da copa do mundo
Um dia em Saturno
Pra criança que não sabe contar
Vai levar um tempão…”
Quanto Tempo Demora Um Mês
(Biquíni Cavadão)

Estou apaixonado.
Fato!
A gente está com a pessoa todos os dias, se sente bem ao lado dela, sabe que gosta.
Mas, no dia a dia, isso vira algo cotidiano. É ótimo, claro, mas você não consegue mensurar o tamanho do sentimento.
E então algo acontece e você tem a certeza absoluta disso.
E eu tenho.
Sábado à tarde, um erro meu (grosseiro, besta, idiota!) e eu tive a impressão de que meu namoro acabaria. E nunca imaginei que isso doeria tanto, que me imaginar sem ele me afetaria de tal modo. Mas uma conversa franca e o assunto foi resolvido.
Respirei aliviado e acordar ao lado dele no domingo me fez ter a certeza de que tenho sido o cara mais feliz do mundo.

Domingo à noite, 19:15h.
Nós dois na rodoviária de Petrópolis, ele indo embora para sua cidade no sul de MG para passar as férias da faculdade.
Um aperto no peito, uma sensação de vazio, uma saudade mesmo estando ao lado dele.
Um abraço apertado, o choro engolido, ele embarcando.
Saudade, muita saudade!

De volta à minha casa, meu minúsculo apartamento se tornou imenso.
Na minha cama, o seu cheiro. Na minha boca, o seu gosto.
Em meu peito, sua falta.
E a certeza de que estou irremediavelmente apaixonado.


Sexo & Poesia

05/12/2008

“Vem cá meu bem,
postMe descola um carinho
Eu sou neném,
Só sossego com beijinho
Vê se me dá o prazer
De ter prazer comigo…
Me aqueça! 
Me vira de ponta cabeça!
Me faz de gato e sapato,
Me deixa de quatro no ato
Me enche de amor, de amor…”
Lança Perfume (Rita Lee)

Léo estava pensativo.
Chegara em casa do trabalho, fora ao supermercado, preparara o jantar e aguardava a chegada de Micael da academia.
Ele chegou.
Beijos. Abraços. Brincadeiras e sorrisos. Jantar.
E estampado na cara de Léo que algo não estava bem.

Aconteceu alguma coisa? Conversa comigo! –pediu Micael.
Nada demais, apenas caiu a ficha de que ficarei um mês sem te ver agora que você sairá de férias! Tô com o coração apertado e já sentindo saudades antecipadamente. –Léo respondeu.

Micael o abraçou apertado, olhou em seus olhos e o tranqüilizou:

-Meu amor, eu nem queria ir! Mas não há o que se fazer. Mas depois de um mês eu estarei de volta pra você de novo. E saiba que metade de mim fica aqui com você!

Permaneceram abraçados por um bom tempo, até que Léo, sorrindo, falou:

-É, chega de drama! Vamos assistir um filme?

Ficaram largados na cama, abraçados, assistindo ao filme de terror.
O filme acabou, os créditos subiram e Léo se levantou. 
Micael foi atrás e o abraçou.
Em pé, no meio do quarto, os dois se beijavam. A boca de Léo explorando a boca, o pescoço, a orelha, o peito, o abdomem de Micael.
Agachado, Léo abocanhou o pau duro de Micael, que se contorcia de tesão. Passava a língua na glande, descia pelo corpo do pau, para logo depois subir e engolir inteiro, num movimento intenso.
Micael o puxou para cima e lhe beijou a boca. Um beijo demorado e nervoso. Rápido. Intenso. E se ajoelhou em sua frente para agora retribuir a chupada. Léo gemia de tesão e estava totalmente fora de controle.
Totalmente sem roupa, foram para a cama e Léo pediu:

-Me come! Quero você inteiro dentro de mim!

Micael sorriu, abriu as pernas de Léo e começou a chupar seu pau enquanto lubrificava o cu com gel. Naquela posição, Léo de barriga pra cima sentia o pau de Micael entrando e lhe dando tesão. E Micael sorria enquanto metia devagar, sutilmente, centímetro por centímetro.
O movimento foi de lento a rápido em poucos minutos e Léo se masturbava sentindo todo o pau de Micael dentro de si.
Foi quando Micael virou Léo de bruços. Pegou-o então pela cintura e o levantou, arrebitando sua bunda e deixando-o de quatro, pronto para ser comido dessa maneira. Se ajeitou atrás de Léo e meteu seu pau com força, aumentando o movimento e ofegando.
Léo estava extasiado com aquela foda, com aquela fome, com aquele tesão.
Micael largou Léo e deitou na cama para que este o cavalgasse.
E assim, Léo sentou no pau de Micael e ficou subindo e descendo, arrancando gemidos de tesão, que se transformaram num urro quando Micael gozou dentro de Léo que, no mesmo instante, gozava sobre sua barriga.
Cansados, ofegantes, os dois ficaram deitados na cama, se encarando.
Em ambas as mentes, a mesma certeza: de que eram amados.
Seus corpos eram apenas parte desse amor tão perfeito.


Sobre O Que Ando Assistindo

03/12/2008

“Eu adoro a minha televisão
remoto2Ela me conta as coisas como elas são
Se as coisas vão mal é só mudar de canal
Eu adoro minha televisão
Ela é: meus olhos, meu coração
Estando triste ou contente
O que eu sinto, ela sente
Eu prefiro ficar deitado no sofá
Olhando a maravilhosa vida dos outros
Passar…”

Eu Adoro Minha Televisão
(Capital Inicial)

 

Como já devem ter observado eu sou meio viciado em seriados de tv e em filmes.

Sem desmerecer a produção nacional, eu acho que os seriados americanos são o que há de melhor na tv hoje em dia.

E sim, eu nem espero estrear por aqui: passou na tv americana, eu baixo e assisto.

Viva Paul Torrent, rs…

O post de hoje, nada mais é do que um pequeno comentário sobre tudo aquilo que ando assistindo e que me dá gosto de ver.

 

Grey’s Anatomy – Tô pra começar a 4ª temporada e simplesmente amo o povo do Seattle Grace Hospital. Sem contar que os médicos que circulam por lá são LINDOS! Afinal, quem não gostaria de ser atendido por um cirurgião plástico como o McSteamy;por um neurologista, como o McDreamy; ou por um interno como o Alex?

 

One Tree Hill – Eu, que fui completamente viciado em Dawson’s Creek na adolescência (e tenho as 6 temporadas originais do seriado em casa), achei em One Tree Hill uma substituta à altura para minha série juvenil de todos os tempos. Drama na medida certa, histórias bem contadas, muita música e, claro, os irmãos Lucas Scott e Nathan Scott.

 

Gossip Girl – Adoro as futilidades daquele povo riquíssimo de Manhattan. E homem bonito é o que não falta em Gossip Girl: Chuck Bass, Nate Archibald  e Dan Humpfrey que o digam.

 

House – Eu nem acho o House bonito. Mas ele é foda! E sempre será foda! E sim, acho que ele é extremamente atraente!

 

Queer as Folk – A série gay definitiva. E estou na segunda temporada. Conflitos, sexo, vida gay, sexo, relacionamentos, sexo. Isso é Queer as Folk. E, claro, Brian Kinney.

 

Alice – É nacional e tem qualidade! E eu amo me aventurar pelo país das maravilhas desbravado pela protagonista. E temos os lindos Nick e Téo  para que nós babemos.

 

E, pra finalizar, um filme que assisti e que gostei muito:

 

The Bubble – Um filme com temática gay. Mas acredito que mais do que isso, um filme sobre amor. Amor entre pessoas. Passado em Tel-Aviv conta a história de um grupo de 3 amigos que dividem um apartamento (dois gays e uma moça) e seus relacionamentos, entre eles, o de um dos amigos, judeu, com um árabe. Filme belo e com final emocionante.